Dicas de maquiagem para quem usa óculos de grau



 

Rodrigo Costa e Chantal Goldfinger falam sobre o assunto a convite da Visionari

 

 

 

Pode parecer um desafio ressaltar a beleza do rosto quando se usa óculos de grau. Porém com as dicas dadas pelo top maquiador Rodrigo Costa e da especialista em óculos Chantal Goldfinger, a convite da Visionari – marca de óculos de grau e solar - você pode ficar linda!

 

 

 

Pele: segundo os especialistas, o segredo para os óculos não ficarem escorregando do rosto é deixar a pele bem seca, com base e pó mais matte.

 

 

 

Corretivo: atenção para o corretivo! Use bem este produto, pois os óculos já fazem sombra nos olhos. Conhecer a cor certa para o seu tom de pele é garantia de combate total às olheiras.

 

 

 

Olhos: use sombras coloridas, que ajudam a levantar o olhar e evidenciar a expressão. A cor da sombra pode combinar com a cor dos óculos de grau ou, pela cor da sombra, você decide a cor dos óculos que vai usar.

 

"Óculos de grau não é aparelho fixo, pode e deve ser usado e trocado como um acessório também", diz Chantal.

 

 

 

Boca: Não há limites para suas vontades aqui. Ela pode estar bem marcada com batom escuro (como na foto), mas pode ser também um nude.

 

 

 

 

 

                                                                                                                                                                                               Fotos: Leo Muniz

 

 

 



 

 

Método prático, não invasivo e indolor para tratar varizes mais profundas na face

 

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 30% da população mundial têm varizes – dilatação das veias, sendo que, grande parcela populacional, apresenta vasinhos no rosto, nariz, ao redor do lábio e, muitas vezes, em região dos olhos, causando aquela sensação escurecida (a famosa olheira) ou nas têmporas e testa (aquela veia saltada), deixando a pele com o aspecto envelhecido. Podem se congênitos ou em virtude do uso de algumas medicações, como hormônios e corticoides ou até mesmo devido ao hábito de fumar.

 

Além disso, tratamento a laser para retiradas de varizes no rosto, é um procedimento aprovado para uso médico pelos órgãos de saúde no Brasil, em vários países da Europa e pelo FDA, órgão regulador nos Estados Unidos.

 

“A alta penetração do feixe de laser no tecido e a respectiva absorção pela hemoglobina resultam em uma distribuição uniforme e constante da energia, o que garante o alcance do tratamento mesmo em vasos mais profundos. Além de segura, essa tecnologia tem sua eficácia comprovada, com pesquisas e estudos divulgados”, explica o angiologista, cirurgião vascular e endovascular, Alberto Ferreira.

 

O laser é eficaz, ainda, para o tratamento dos vasos das pernas. “É uma opção não invasiva para o tratamento de pequenas veias vasinhos dilatados, indicado para quem tem medo de agulha ou para quem prefere experimentar outra opção, menos dolorosa e mais rápida que as injeções”, complementa o especialista.

 

Além do tratamento vascular para varizes e vasinhos, é indicado para micose de unha; depilação a laser; peeling térmico; remoção de maquiagem definitiva ou tatuagem; tratamento de manchas; redução de olheiras; correções de manchas faciais e cicatrizes causadas por acnes.

 

Procedimento

 

As sessões podem ser realizadas no consultório e pelo próprio especialista. O número de sessões necessárias, geralmente depende do tipo de lesão a ser tratada.

 

Atualmente, com o emprego de recursos tecnológicos como um sistema de resfriamento de pele que promove uma espécie de analgesia e proteção, amenizando essa sensação, enquanto o laser estiver em contato com a pele.

 

Alguns cuidados são necessários após realizar o método, como não aplicar cremes ou maquiagem no rosto sob a região já tratada; evitar exposição ao sol e usar bloqueador solar.

 



Dr. Alberto Ferreira - Com 10 anos de dedicação na área da saúde, o médico é formado pela Universidade Estadual do Pará, com residência médica reconhecida pelo MEC em Cirurgia Geral e Cirurgia Vascular e Endovascular pelo Hospital do Servidor Público do estado de São Paulo – Iamspe. O angiologista é especialista em varizes com laser, procedimento minimamente invasivos e ultrassonografia vascular. Atualmente, é coordenador do serviço de cirurgia vascular e endovascular do Hospital Porto Dias.

Rua Tiradentes, 201, entre Tv. Benjamin Constant e Tv. Piedade – Belém/PA

(91) 3349-3988 / 98418-7252

 

 

 

 



 

 

 

 Ruivo Nude - Descubra o Tom que Mais Combina com a sua Pele


 


Uma das mais fortes tendências do momento são os fios ruivos. O tom avermelhado não para de ganhar adeptas e outras que apenas sonham com a coloração.


 

O hairstylist especializado em cor, Amadeo Marins, do salão Fil Hair & Experience garante que o ruivo é para todas. ''Pensamos no ruivo de acordo com o tom de pele da mulher. Analisamos a cor da pele, dos olhos e da sobrancelha para chegarmos na cor ideal.'' explica Amadeus. 

 

Um dos caminhos para encontrar o tom ideal é o ruivo nude, técnica de pigmentação dos fios que usa como base a cor natural dos cabelos, o que tem como resultado um look bem natural. 

 

Claro que como todo fio colorido, o ruivo nude precisa de cuidados de hidratação e de toque entre 20 e 60 dias

 



 

 

10 coisas que você precisa saber sobre o Transplante Capilar


A calvície tem diversas causas. A mais comum entre os homens é a forma androgenética que, como o próprio nome sugere, é uma condição genética que incomoda algumas pessoas.Enquanto alguns lidam bem com a perda dos fios, outros não aceitam e passam a ter até problemas sociais e de convívio. Nestes casos, o transplante capilar apresenta-se como uma ótima opção.

 

Cada sessão implanta até 5 mil unidades foliculares, sendo que uma unidade folicular reúne de um a quatro fios. O intervalo entre as sessões precisa ser, em média, de um ano. Além do Brasil, Canadá, Estados Unidos, Europa e Austrália são referência no assunto.

 

Existem algumas recomendações antes do procedimento, entre elas, tratar bem o couro cabeludo, que precisa ficar livre de caspa e inflamações. No caso das mulheres, é importante uma avaliação clínica mais detalhada, pois nestas pacientes as causas de calvície podem ser outras. Tanto para homens quanto para as mulheres, três meses antes da cirurgia é importante que passem a massagear diariamente a região do couro cabeludo de onde serão retirados os fios saudáveis.

 

Abaixo, 10 informações importantes e que fazem toda a diferença na hora de se decidir por um transplante capilar.

 

1. O transplante capilar pode ser feito por todos os pacientes que possuam área doadora satisfatória. A área doadora é a parte do couro cabeludo que é usada para serem retiradas as unidades foliculares;

 

2. O cabelo é retirado do couro cabeludo na hora da cirurgia e transplantado, fio por fio, em orifícios feitos pelo cirurgião;

 

3. Quem recorre à cirurgia deve, de preferência, continuar o tratamento clínico para evitar a queda na parte saudável do couro cabeludo;

 

4. O efeito do transplante se dá pelo fato de que a redistribuição provoca a ilusão de que o cabelo natural está mais uniforme;

 

5. Há vantagens para o paciente que tem fios mais grossos e fortes nas laterais e atrás. Para esses, em geral, são feitas duas sessões, dependendo do grau da calvície e da densidade do cabelo;

 

6. Os resultados começam a aparecer entre quatro e seis meses;

 

7. O implante pode ser feito por pessoas acima de 25 anos (de preferência acima dos 30 anos) e deve ocorrer na mesma direção, no mesmo ângulo e com as mesmas irregularidades dos fios que caíram;

 

8. A equipe médica que atua no procedimento pode ter de 5 a 12 profissionais, e o tempo do procedimento pode levar de 5 a 10 horas;

 

9. A operação é feita em clínica ou hospital, com anestesia local e sedação;

 

10. O paciente volta para casa no mesmo dia e no dia seguinte volta ao consultório médico para lavar o cabelo e depois de 7 dias para retirar pontos, quando isso se faz necessário.

 

Passado um mês, o cabelo implantado cai e um novo nasce no lugar em até três meses. Nesse intervalo, o paciente fica careca e pode lavar o cabelo normalmente, tanto nesse período quanto depois que os fios crescerem.

 

O Dr. Cesar Daher, cirurgião plástico da Clínica Costa Daher, lembra que a cirurgia tem um grande impacto na vida social dos pacientes. “Muitos chegam até a mudar de humor no seu dia a dia e se tornam pessoas mais vaidosas e alegres”, completa o médico.

 

 

 

Dr Cesar Daher - cirurgião plástico é membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP); membro da Associação Brasileira da Cirurgia de Restauração Capilar (ABCRC); membro da American Society of Plastic Surgeons (ASPS); coordenador do Departamento de Eventos Científicos Regional Centro-Oeste; e preceptor do programa de especialização em Cirurgia Plástica do Hospital Daher Lago Sul, Brasília-DF.

Clínica Costa Daher

www.costadaher.com.br

 






 

 
Benefícios e riscos da toxina botulínica na harmonização orofacial


Embora esteja aprovado para o cirurgião-dentista, seu uso não deve ter objetivos meramente comerciais


A odontologia vem ganhando cada vez mais espaço no cenário nacional e internacional quando se trata de saúde e estética. Recentemente, universidades brasileiras foram consideradas as melhores do mundo nesta área. Isso acontece porque o dentista brasileiro costuma ter uma visão equilibrada quando se trata de estética, e busca resultados naturais. Nesse contexto, o uso da toxina botulínica (comumente chamada de Botox) pelos cirurgiões dentistas foi aprovado pelos Conselhos de odontologia e cresceu exponencialmente nos últimos anos. Entretanto, requer profundo conhecimento anatômico, bioquímico e funcional, e isso serve de alerta para especialistas e pacientes.


Cursos de harmonização orofacial estão se multiplicando pelo país, mas muitos apresentam cunho meramente comercial e lucrativo, e estão ensinando as técnicas de forma irresponsável. Prova disso é que alguns ex-alunos, recém treinados, estão oferecendo cursos mesmo com pouquíssimo tempo de prática clínica. Poucos são os cursos que oferecem informação escalonada e confiável - desde o conhecimento básico aprofundado até o emprego de técnicas clínicas sob comprovação científica e acompanhamento a curto, médio e longo prazos. Por isso, é necessário ser cauteloso.


“Como profissionais da área da saúde, não somos vendedores de produtos ou técnicas.


Somos promotores de saúde bucal e orofacial e esse fato nos confere responsabilidade e bom senso até para negar um pedido de um paciente, movido pelas pressões da mídia e dos padrões estéticos”, afirma a Drª Maristela Lobo.


Torna-se necessária uma rigorosa avaliação e a indicação correta dos procedimentos a serem executados, para que não se perca o foco na promoção de saúde e bem estar para o paciente.


Afinal, os cirurgiões dentistas, e as novas técnicas que foram permitidas são apenas ferramentas que permitem ampliar a área de atuação e beneficiar o paciente. O uso da toxina e dos preenchedores, sem dúvida, fez surgir novos horizontes na odontologia.

Recentemente, foi liberado para o cirurgião-dentista a atuação em uma área da face para realizar procedimentos que antes só dermatologistas e cirurgiões plásticos podiam fazer. “Está liberada para tratamento com produtos injetáveis a área que vai do osso hióide até o início da área pilosa do terço superior da face; ou seja, o dentista agora pode harmonizar os três terços da face, trabalhando a musculatura relacionada à mastigação e equilibrando a estética”, comenta. Em outras palavras, é um novo mercado para a odontologia que está em expansão através de cursos especializados nos procedimentos. A Drª, que recentemente esteve presente no “Curso Master em Toxina Botulínica e Preenchimento Facial para Harmonização Orofacial”, que ocorreu em Miami, no início de maio, promovido pelo prof. Altamiro Flávio Ribeiro Pacheco e equipe, trouxe as novidades deste novo mercado como treinamento, avaliação das estruturas anatômicas, riscos dos procedimentos e os resultados imediatos e tardios de alguns deles. Já é o quinto curso que a Dra. Maristela Lobo faz sobre esse assunto.


A Toxina Botulínica age como um medicamento local, específico, potente e eficaz nos tratamentos de hipertonias musculares, e pode ser usado para equilibrar e dar harmonia ao sorriso e à face. Ela auxilia no tratamento das DTMs (Disfunções temporo-mandibulares), assimetrias faciais e labiais, cefaléias tensionais, sialorréia, dentre outras. Porém, a especialista alerta que no Brasil ainda não há muito critério de aplicação das técnicas, o que deve ser visto com cautela, já que pode promover efeitos adversos e intercorrências bastante desagradáveis – tais como assimetrias faciais temporárias e lesões neutrais e/ou vasculares irreversíveis.


Ainda assim, com o curso no exterior e as experiências vividas, é possível dizer que as técnicas têm sido inovadoras para a odontologia, tanto para o profissional quanto para o paciente. “A toxina botulínica é um medicamento local relativamente duradouro. Age como adjuvante na proteção das reabilitações orais, pois modula a atividade dos músculos da mastigação, e auxilia no combate à esqueletização da face”, afirma. Além disso, ainda previne os sinais de envelhecimento facial, promovendo sorrisos mais simétricos e permitindo a harmonia dos terços da face de uma forma mais natural e menos invasiva.


 

www.maristelalobo.com.br.

 

 



 

 

 

Cada formato de rosto feminino combina mais com um tipo de cabelo curtinho

 

Radicalizar no corte das madeixas traz estilo, mas pode evidenciar características que talvez você não queira. Hairstylist ensina a escolher o melhor curtinho para você.


As atrizes, modelos, artistas e blogueiras it-girls costumam lançar tendências em cortes de cabelo feminino. Para algumas mulheres, encurtar as madeixas pode ser sinônimo de radicalizar; para outras, é sinônimo de praticidade. O fato é que os curtinhos estão na moda, são estilosos e demandam menos tempo de cuidado diário, o que é ideal para quem tem a vida corrida.

“Recentemente, os pedidos para cortes curtinhos têm aumentado nos salões de beleza. Mas antes de cortar, é preciso definir o corte ideal para você. Ao encurtar os fios, é importante levar em conta o tipo de corte que vai combinar melhor com seu formato de rosto, já que, dependendo do estilo, ele pode evidenciar detalhes que você pode não querer”, aconselha o hair stylist Cesar Almeida, consultor da megafarmácia Netfarma.

Rostos mais compridos ficam bem com cortes curtos, que mantenham as laterais mais longas e franja na altura da sobrancelha. O formato redondo de rosto requer um trabalho em camadas e laterais mais compridas e sem volume, ideal para afiná-lo. “O topete é permitido, porém não recomenda-se franja”, salienta Almeida. Rostos mais quadrados, por sua vez, segundo o hair stylist, exigem cautela no corte chanel. “O mais indicado é fazer algumas mudanças. O corte deve seguir uma linha reta, com arredondado nas pontas e sem volume, para suavizar os traços”, orienta

O rosto oval é o mais democrático, ideal paro todo tipo de chanel e, inclusive, para o estilo 'Joãozinho'.

Já o formato triangular de rosto, em geral, exige um corte mais trabalhado e também serve para alongar a face, com maior comprimento nas laterais. “´Para esse tipo de rosto, cai muito bem repicar a parte de trás. E a altura de comprimento ideal é no maxilar e, de preferência, sem franja”, pontua o consultor da Netfarma.

Almeida ainda chama atenção para o rosto em formato de triângulo invertido ou coração, que é aquele estreito no queixo e mais largo na testa. “Esse rosto combina perfeitamente com o chanel, pois o corte vai equilibrar todas as suas linhas”.

Como se pode perceber, os cabelos curtos são democráticos e podem ser usados por mulheres com todos os formatos de rosto, desde que sejam respeitados alguns detalhes na manutenção do corte, que precisa ser frequente.




 

 



 

 

Jantar engorda - O que você come à noite pode atrapalhar o emagrecimento?

 

Veja se evitar carboidrato a noite realmente ajuda na perda de peso ou se não passa de um mito


Quem luta contra a balança com certeza já ouviu centenas de “regras” na hora de montar o cardápio. “Comer a cada 3 horas, apostar nas saladas, reduzir a ingestão de doces”... Estes são apenas alguns dos mandamentos que norteiam o emagrecimento. Porém, é comum que muitas pessoas, mesmo fazendo dieta ao longo do dia, não resistam e acabem “escorregando” na refeição noturna. Seria este, portanto, o motivo dos quilinhos a mais? Uma refeição farta no final do dia tem mais chances de acabar se transformando na temida barriguinha do que um almoço generoso?  No meio de tanta informação, é realmente difícil identificar quais alimentos são mais adequados para momentos específicos do dia. Porém, com o auxilio dos nutrientes certos na hora adequada é possível beneficiar a perda de peso sem comprometer o prazer à mesa. Quer saber como o jantar influencia sobre essa questão? Saiba mais agora:


Jantar ou não?


Certamente você já ouviu a famigerada frase “tome café da manhã como um rei, almoce como um príncipe e jante como um plebeu”. É fato que o desjejum é considerado, inclusive por médicos, uma das refeições mais importantes do dia. Porém, seria esse um indício de que estamos mais propensos a engordar durante o jantar? Muitos acreditam que o grande culpado é o metabolismo que, durante o sono, tende a diminuir o ritmo. Porém, isso é o suficiente para condenar a refeição noturna?


Conforme explica a nutricionista Sinara Menezes, embora isso realmente aconteça, não é o ponto mais relevante quando se trata do ganho de peso “Até mesmo porque o corpo continua queimando energia para manter a respiração, o batimento cardíaco, a secreção de hormônios e centenas de outras atividades durante o sono. O problema está mais relacionado à qualidade do sono e, principalmente, ao balanço energético, que é a soma de tudo que foi consumido no dia menos o que foi gasto no mesmo período”.


De acordo com a profissional da Nature Center, devemos considerar a alimentação ao longo do dia como uma poupança “Se começamos o dia, por exemplo, com um saldo zerado, mas com o passar das horas depositamos mil e posteriormente gastamos apenas 800, ao final ficamos com uma poupança de 200. Não importa se esse “depósito” foi feito pela manhã, à tarde ou à noite. No organismo, funciona dessa forma, se não “gastamos” o saldo de 24 horas, acabamos com um depósito energético, principalmente em forma de gordura”.


Sono x Peso


Embora a ciência não tenha uma resposta conclusiva sobre a relação peso e sono, algumas fatos são unanimidade entre os profissionais: a qualidade e quantidade da alimentação antes de dormir. Estudos têm apontado que os níveis de melatonina, também conhecido como hormônio do sono, tem relação significante com o balanço energético. Curiosamente, seu pico de liberação só ocorre durante a noite, quando estamos em repouso absoluto.


Pesquisas evidenciaram que quando a melatonina encontra-se em baixa no organismo existe uma predisposição a comer mais, fora de hora e ainda armazenar mais gordura do que o normal. Coincidentemente, o período no qual o corpo baixa, naturalmente, a produção do hormônio é precisamente durante o dia, quando comemos mais e “estocamos” energia. E o que isso tem a ver com o jantar?


O principal estímulo para a produção desse hormônio é a escuridão natural, ou seja, o “cair da noite”. Ao final do dia o corpo passa a produzir melatonina, alcançando seu pico de secreção no meio da madrugada. Refeições exageradas ou muito próximas da hora de dormir podem atrapalhar o sono, provocando o despertar do individuo ao longo da noite e, consequente, afetando a atividade do hormônio. Para se ter uma ideia da sensibilidade desse processo, até mesmo a luz da tv ou do celular pode prejudicar esse ciclo. Isso sem contar que uma noite mal dormida pode gerar o desequilíbrio de outros hormônios que, igualmente, podem afetar o peso, como é o caso do hormônio do crescimento (gH) e da leptina, o hormônio da saciedade.


Portanto, conforme explica Menezes “um prato com uma quantidade x de calorias terá o mesmo valor energético no almoço ou no jantar, a diferença é o quanto esses alimentos vão impactar no sono e, principalmente, qual a qualidade dessa refeição. Dependendo dos alimentos ingeridos, o processo de emagrecimento pode ser sabotado ou beneficiado”.


Carboidrato à noite, pode?


Nesse momento, entra em questão outro grande mito do emagrecimento: “comer carboidrato a noite engorda”. Esse conceito é tão difundido que não é difícil ver pessoas recusando qualquer lanchinho após as 18h por medo de que o alimento consumido vai se tornar, imediatamente, uma gordurinha localizada. Porém, conforme explica Sinara “É preciso entender que nosso organismo não funciona de forma tão cronometrada: os carboidratos são tão importantes à noite quanto pela manhã. A diferença é que, como a maioria das pessoas costuma diminuir o nível de atividade ao fim do dia, deve-se também diminuir a quantidade desses alimentos no prato, principalmente perto da hora de dormir. Ainda assim, a forma como eles vão compor o cardápio depende do estilo de vida de cada indivíduo”.


A profissional pontua que pessoas que treinam a noite, por exemplo, podem precisar de porções iguais ou até maiores do que as consumidas durante o almoço, pois demandam mais energia neste momento do dia. “Para qualquer pessoa, o grande segredo é o equilíbrio e a qualidade desses carboidratos. Se eles forem bem distribuídos ao longo do dia e, principalmente, forem consumidos através de fontes saudáveis como, legumes, verduras, grãos e cereais integrais, certamente darão energia e, até mesmo, beneficiarão a boa forma. Agora, se grande parte da alimentação for composta por carboidratos refinados como massas brancas, farináceos, doces e produtos industrializados, certamente haverá o ganho de peso, não importa se eles foram consumidos às 8 da manhã ou da noite”.


Ajustando os ponteiros


Se, basicamente, não existe diferença na quantidade de calorias consumidas de dia ou de noite o mesmo valeria para o tipo de alimento? Quando se trata de nutrientes, não! Se o plano for eliminar os quilinhos a mais, alguns podem ser mais benéficos em determinados horário do dia. Da mesma forma, algumas substâncias podem não ser tão bem vindas quando se aproxima a hora de ir pra cama. Porém, com uma combinação estratégica é possível aproveitar o melhor de cada alimento, regular o sono e ainda destravar o metabolismo. Veja quais nutrientes são mais adequados no almoço e no jantar:


Para o dia


Reserve este período para potencializar o metabolismo e o gasto de energia. Aposte nos alimentos e chás termogênicos. “Substâncias ricas em cafeína, além de melhorarem a disposição e estado de atenção, aumentam o gasto calórico. Por isso, um cafezinho é a melhor maneira de começar o dia, além de ser estimulante, também contribui para o raciocínio.” Mas isso não é tudo: “o potássio é fundamental para manter os níveis de glicose estáveis, ajudando no aproveitamento da energia. Justamente por isso, frutas como a banana são indispensáveis tanto no café da manhã como nos lanches intermediários, assim como os legumes, vegetais e hortaliças. Estes carboidratos complexos são ricos em diversas vitaminas e fibras, que, por sua vez, propiciam maior saciedade e uma digestão mais tranquila”. Porém, com uma ressalva: “Para obter as fibras, deve-se consumi-los, sempre que possível, com cascas, folhas e talos”.


Para a noite


Aquela sensação reconfortante ao tomar um copo de leite quente antes de dormir não é mera impressão: fontes de triptofano, leite e derivados realmente ajudam o corpo relaxar. Isso porque, assim como a serotonina, este aminoácido auxilia na secreção da melatonina, o tal hormônio do sono. Porém, para aqueles que não toleram bem alimentos lácteos a dica é apostar num cardápio rico em vitaminas do complexo B, em especial a Niacina (B3), a Piridoxina (B6) e a Cobalamina (B12) – todas precursoras dos neurotransmissores responsáveis por uma boa noite de sono.


Com exceção da vitamina B12, cujas fontes estão majoritariamente em proteínas animais (carnes, ovos, leite e derivados), os demais nutrientes podem ser obtidos a partir de fontes vegetais como a banana, o abacate, a aveia, o gérmen de trigo e oleaginosas como nozes e amendoim. E quando se trata da perda de peso vale apostar no Cromo, um mineral que ajuda a controlar aquela vontade de comer carboidratos, especialmente doces, a principal tentação após o jantar. Onde encontrá-lo? Cereais integrais, na maçã, nos brócolis e, até mesmo no vinho, que também pode ajudar a relaxar após um dia cheio de trabalho (obviamente, com moderação para não sabotar o sono e a dieta).


Para finalizar a nutricionista ressalta que é importante não fazer refeições pesadas durante a noite, bem como não consumir nada estimulante depois das 16h. Além disso, não adianta pular todas as refeições e atacar um prato generoso ao final do dia “Quando ficamos muito tempo sem comer, nosso metabolismo desacelera, pois entende que está passando por uma “privação”, assim ele passa a armazenar mais do que gastar”. No final, colocando “na balança” o que vale mesmo é o equilíbrio: com as escolhas certas, é possível jantar sem medo e sem afetar a boa forma.


 

 

Fonte: Nature Center