Ainda dá tempo de cuidar da pele antes do verão

 

Dermatologista fala sobre alguns tratamentos que podem ser feitos esta época do ano

 

As altas temperaturas, o início das férias escolares e a chegada das festas de final de ano tendem a aumentar a preocupação com o visual e, consequentemente, a lotar os consultórios médicos em busca de uma solução a curto prazo. Embora a chegada da estação mais quente do ano aconteça em pouco mais de 1 mês, existem tratamentos que trazem resultado rápido e que prometem melhorar o aspecto da pele antes da chegada do verão. O médico dermatologista, André Lauth, traz algumas orientações para quem está em busca de soluções para o verão.

 

Bioestimulação do Colágeno

 

A bioestimulação pode ser realizada com duas substâncias distintas, com resultados semelhantes, mas que variam de pessoa para pessoa. Uma delas é o ácido poli-L-lático, comercializado no Brasil com o nome Sculptra®; a outra é a hidroxiapatita de cálcio, mais conhecida como Radiesse®. Estas substâncias, quando aplicadas na pele, promovem estímulo à produção de colágeno, trazendo melhorias na qualidade da pele e redução na flacidez. O procedimento pode ser realizado no rosto, abdômen e braços.

Sua aplicação é parecida com a do preenchimento de ácido hialurônico, porém com durabilidade um pouco maior, de até dois anos. São recomendadas três sessões, mas é comum ver pacientes satisfeitos com uma ou duas aplicações. Em geral, resultados já podem ser vistos um mês após a primeira sessão.

 

Preenchimento

 

Consiste na injeção de um gel de ácido hialurônico com o objetivo de harmonizar os contornos da face. É mais utilizado para corrigir o "bigode chinês", o "código de barras" (rugas ao redor dos lábios), as olheiras fundas e para aumentar os lábios e as bochechas. Pode também ser utilizado para tratar rugas mais marcadas na testa e ao redor dos olhos (aquelas que não desaparecem completamente com a aplicação de toxina botulínica). Na região da mandíbula, o preenchimento deixa o rosto mais angular e, nas mãos, pode melhorar o aspecto emagrecido e com vasos sanguíneos muito aparentes.

É possível observar o resultado da aplicação logo ao fim do procedimento. Em geral, ocorre algum edema (inchaço), que costuma regredir em até uma semana. Quando aplicado em locais com maior mobilidade como os lábios, o ácido hialurônico dura menos, algo em torno de seis a oito meses. Já quando aplicado profundamente, como nas bochechas, pode durar até doze a dezoito meses.

 

Botox

 

Se a sua intenção é amenizar as rugas da testa, glabela (entre as sobrancelhas) e "pés de galinha", a toxina botulínica é, provavelmente, a melhor opção. Além disso, ela pode ainda ser usada para tratar o sorriso gengival (quando a gengiva superior aparece muito ao sorrir), as rugas e pregas no pescoço e melhorar o contorno da face. É ainda muito eficaz em reduzir o suor nas axilas, que costuma aumentar com o calor do verão.

Atualmente, procuramos usar a toxina botulínica para melhorar a aparência e a expressão facial sem paralisar completamente, ao que damos o nome de miomodulação, mas o tratamento clássico também pode ser feito de acordo com a preferência de cada paciente.

O resultado da aplicação pode ser visto em até duas semanas. “Quando se trata de melhorar a aparência da face, nada é mais rápido e eficaz que a associação entre preenchimento e toxina botulínica, sem contar o baixo risco e o conforto dos procedimentos” diz o médico dermatologista André Lauth.

 

Cuidados com o sol

 

Engana-se quem pensa que os cuidados com a pele devem ser feitos apenas antes da chegada das altas temperaturas. Os dermatologistas fazem algumas recomendações a fim de garantir a alegria nas férias, bem como uma pele bonita e saudável. O protetor solar é item indispensável, mas, para garantir sua eficácia, é necessário escolher o tipo certo. Para isso, é importante entender alguns fatores a respeito da luz solar. “O sol emite dois tipos principais de radiação que prejudicam a pele, a Ultravioleta A (UVA) e a Ultravioleta B (UVB). A UVA está presente durante todo o dia e é a principal responsável pelo bronzeamento tardio. Já a UVB é a principal responsável pelas queimaduras solares e manchas, com maior incidência das 10h às 16h”, explica o médico dermatologista, André Lauth.

Sabendo disso, ao escolher o protetor, alguns critérios precisam ser observados. Por exigência da ANVISA, todo protetor solar deve ter em sua embalagem o FPS (que mede a proteção contra UVB) e o PPD (que mede a proteção contra UVA). Segundo o Dr. André Lauth, “o ideal é que o protetor solar tenha um FPS 30 ou maior. Já o PPD, pode estar na embalagem como um número, que deve ser pelo menos 1\3 do FPS, ou em sinais de positivo (+). Um sinal significa baixa proteção UVA e três, alta proteção UVA”.

A escolha deve levar ainda em consideração o tipo de pele de cada um. Peles secas, geralmente, aceitam bem a maioria dos produtos disponíveis no mercado. Entretanto, as pessoas com peles mistas e oleosas devem escolher protetores com toque seco, oil control (com controle de oleosidade) ou oil free (livre de óleo), informações que devem estar presentes nos rótulos dos produtos.

                                                                                                                                                                                           

 

 

 



 

 

Corpo e mente "afinados" para um emagrecimento duradouro e efetivo


 

Afine-se traz novidade em emagrecimento saudável para quem quer perder peso e nunca mais engordar novamente


 

Com base na experiência de diversos profissionais da área e estudos sistemáticos, o Afine-se acompanha o paciente efetivamente, corpo e mente, de maneira integrada e harmônica, permitindo assim a adaptação e definição do melhor modelo para a perda de peso saudável, mantida a longo prazo ou de acordo com a necessidade do paciente.


 

A perda de peso é de até 15 kgs para clientes com IMC abaixo de 30 (programa de 2 meses - Afine-se Turbo) e até 30 kgs para clientes com IMC acima de 30 (programa de 4 meses - Afine-se Advanced).


 

 Outro recurso disponibilizado pelo Programa é a complementação vitamínica, que realiza a reposição de nutrientes e minerais que apresentarem deficiência durante os procedimentos, preservando assim a massa muscular e possibilitando a redução de peso de maneira equilibrada.


O processo de emagrecimento é intensificado pelas sessões de tratamento estético, que promovem a aceleração da perda de gordura gradualmente, evitando a flacidez, tratando a gordura localizada (dependendo de cada caso, de maneira individual e adaptável), resultando no bem-estar e no aumento da autoestima, além da introdução de atividade física em meio aos tratamentos, com treinos Hiit, presenciais ou remotos, elaborados por educadores físicos e adaptados às limitações de cada indivíduo.

 

 

 

A filosofia do Afine-se baseia-se no equilíbrio do corpo e da mente, aliado a estratégias de educação alimentar, reforçadas ainda por medidas aceleradoras exclusivas, com o suporte de profissionais especializados em gestão de comportamento. Durante todo o Programa, o acompanhamento profissional visa a diminuição das crises de ansiedade, recaídas e desistências, além de possibilitar a manutenção dos resultados obtidos.


 

 Com a mente afinada e as inseguranças discutidas, a evolução do tratamento flui para uma cura definitiva, subsidiada ainda por terapias como auriculoterapia e utilização de florais. "O Programa de Emagrecimento Afine-se é um tratamento completo com estratégias concretas para um emagrecimento rápido e saudável, sem sofrimento e definitivo.


Cada paciente é único e deve ser tratado como tal, suas particularidades e necessidades serão moldadas e atendidas dentro da estratégia proposta. Essa personalização, aliada ao acompanhamento e às adequações necessárias tornam o Afine-se um Programa de Emagrecimento de sucesso, com total satisfação de seus pacientes ", garante Mari de Chiara, Enfermeira Esteta da Clínica Chiquetá, estrategista de emagrecimento e parte integrante da equipe idealizadora.

 

 

 



 

 

Bons cuidados no pós-operatório interferem diretamente no sucesso da cirurgia plástica


Evitar bebidas alcóolicas, doces e exposição ao sol são apenas algumas das restrições orientadas pelos médicos


Reduzir a barriga, dar um upgrade nos seios e corrigir imperfeições no nariz estão entre as intervenções estéticas mais comuns, que colocam o Brasil no topo do ranking, como o país com mais cirurgias plásticas, no mundo. Segundo dados Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, desde 2013, o país é o recordista mundial, com mais de 1,5 milhão de operações por ano.

 

E quando o assunto é cirurgia plástica, logo vem em mente, o glamour de um corpo perfeito, contudo, poucos se atentam que, para um bom resultado, é necessário ter cautela durante o período pós-cirúrgico, maus hábitos podem interferir no êxito da intervenção.


“Como o organismo sofreu um estresse cirúrgico, suas defesas estão mais debilitadas e o tecido tem que se reestruturar, temos algumas orientações a serem seguidas pelo paciente, se ele descuidar nesse processo, pode comprometer até 50% do resultado da cirurgia”, avalia o cirurgião plástico Dr. Fernando Bianco.


As cirurgias, geralmente, determinam ao menos seis meses de repouso para uma boa recuperação. Comumente após um mês, o paciente já está reabilitado, porém, há restrições, banhos de sol e praia, apenas após 90 dias. Os esforços também abrangem hábitos saudáveis como evitar bebidas alcoólicas, fumar, entre outros.


No pós-operatório, podem aparecer as fibroses, que são parte do processo de cicatrização, que ocorre tanto por fora quanto debaixo da pele. Para evitar um resultado desfavorável, o ideal é que se recorram às drenagens modeladoras, uso de ultrassom de baixa potência, e até mesmo a carboxiterapia, úteis para atenuar justamente estes quadros.


“Se a paciente não tiver o cuidado necessário, as marcas deste processo podem ficar muito acentuadas. Exemplos ruins como usar calça jeans apertada, atividades físicas antes do tempo, movimentos bruscos que estique a pele tratada ou a cicatriz, podem causar a falta de drenagem no local e, acúmulo de líquido, que além da dor, em casos mais extremos, causam infecção”, orienta o cirurgião plástico.


O Cirurgião Dr. Fernando Bianco também faz uma ressalva sobre outro aspecto, que faz com que a intervenção cirúrgica seja um sucesso. “Se a paciente seguir o que foi determinado, poderá usufruir tranquilamente do novo formato do seu corpo, e é sempre bom lembrar, que se deve procurar um profissional qualificado, fazer uma pesquisa entre pacientes antigos, verificar seu registro junto ao Conselho Regional de Medicina (CRM), porque cirurgia plástica, é com cirurgião plástico”, finaliza.





 

 
 Como cuidar do cabelo antes e depois da praia


Especialista, conhecido como "Dr.Cabelo", dá dicas para manter os fios saudáveis e hidratados  

 

Estamos na primavera, a estação mais florida do ano e a época em que os banhos de mar e de piscina são frequentes. Sol, cloro, vento e o sal da água do mar são os campeões em prejuízos para as madeixas. Eles queimam e desidratam os fios, fazendo com que adquiram uma aparência muito ruim.

Quem vai fazer passeios à beira mar, ou passar o dia na praia, tomando banhos marinhos sucessivos, deve prestar muita atenção e investir em produtos adequados à proteção dos fios.


Como cuidar antes


Os cuidados devem começar antes da ida à praia. Assim como a pele, os cabelos são prejudicados pelo sol e pelo mar. Se não forem protegidos, irão se queimar. É importante investir em um bom protetor solar para o cabelo. Ainda dentro de casa, é preciso aplicar o produto para que seu efeito já tenha início, antes de ir à praia. O procedimento é ainda mais importante para as pessoas que costumam ficar com os cabelos soltos, enquanto se bronzeia, pois, os fios ficam sem proteção alguma.


Também é importante carregar um hidratante para cabelos, na bolsa de praia. Os do tipo leave-in, oleosos, cremosos ou em spray, servem para desembaraçar os fios, nos intervalos entre os mergulhos. Com a ajuda de um pente (de preferência com cerdas de madeira), é preciso penteá-los, todas as vezes em que molhá-los. Isso os manterá arrumadinhos, facilitando sua lavagem e desembaraço, na hora do banho.


Como cuidar depois


É importante lavar bem os cabelos, com shampoos e condicionadores adequados ao seu tipo. Quem frequenta muito a praia pode usar um shampoo de limpeza profunda, semanalmente, para a retirada completa dos resíduos de outros produtos. Quem foi passear no litoral, por tempo limitado, também pode fazer isso. Se possível, também é muito bom lavar os cabelos com água termal, como forma de hidratar os fios.


Os cuidados com os cabelos depois da praia devem ser mais intensos, em relação à hidratação. Eles sofreram com o calor e o sol, além do sal marinho. Hidrate-os, semanalmente, até que adquiram seu aspecto normal.

E, para ajudar a manter os fios saudáveis e hidratados, o cabeleireiro e químico Marcos Dal Bello, também conhecido como ‘Dr. Cabelo’, dá algumas dicas. Entre as máscaras selecionadas por Dal Bello, destacam-se as que utilizam frutas, como o mamão e o abacate e o leite de vaca integral, que é usado em casa em diversas receitas. “As frutas têm propriedades importantes que conseguem restaurar os cabelos. Já o leite, pela quantidade de cálcio, consegue fortificar e deixar os cabelos mais bonitos ainda”, destaca o especialista.

 

Confira as receitas:


- Hidratação do Leite: Utilizando uma bola de algodão, aplique leite (sem ferver) em toda a extensão do cabelo, inclusive na raiz. Deixe agir por uma hora e lave o cabelo como de costume. O leite tem propriedades ricas em cálcio, por isso é comum encontra-lo em xampus, condicionadores e máscaras. Para cabelos cacheados ou ondulados, com a hidratação do leite os fios poderão tomar forma lisa, recomenda-se o uso desta hidratação a cada dia 15 dias;



- Hidratação com óleo de coco: aplique o óleo de coco em toda a extensão do cabelo, inclusive na raiz e no couro cabeludo, e massageie bem. Deixe agir durante a noite e enxague pela manhã. Importante depois do processo secar o cabelo com secador, evitando que a raiz fique úmida. 


- Hidratação com banana: misture uma banana madura amassada, uma colher de óleo de amêndoas e duas colheres de mel até ficar homogêneo. Aplique a mistura em toda a extensão do cabelo e deixe agir por 30 minutos. Enxague bem com água morna. Após a aplicação da hidratação recomenda-se secar com o secador, pode-se escovar os cabelos após o processo. Para as pontas, recomenda-se óleo de argan após escova. 


- Hidratação com leite em pó: acrescente água a 1/4 de leite em pó até formar uma pasta homogênea. Aplique a mistura em todo o cabelo, massageando. Envolva a cabeça com uma toalha aquecida e deixe agir por alguns minutos. Enxague e finalize lavando com xampu.


- Hidratação com maionese e abacate: amasse um abacate maduro e misture bem com uma xícara de maionese. Aplique a mistura nos fios, da raiz às pontas. Deixe agir por 20 minutos e lave os cabelos com xampu sem sal, atente-se ao nível de PH no rótulo do xampu na hora da compra. 

 

 


Dal Bello Cabeleireiro
Rua Chacuru, 03 - São Miguel Paulista






 

 

Pilates: exercício indicado para todas as idades

 

Uma das práticas de cuidados físicos que mais tem se popularizado atualmente é a do Pilates. Ela já existe há alguns anos, porém se tornou mais popular no Brasil de pouco tempo para cá, tendo início, principalmente, em clínicas de fisioterapia, muito por conta dos benefícios que a atividade traz à saúde. Apesar disso, com o tempo o Pilates ganhou espaço em academias, e embora tenha capacidades que se alinham com a melhoria de questões como o peso, em menor escala, o principal foco da modalidade de exercícios é alcançar uma compreensão corporal maior, condicionar o físico e a mente e obter controle sobre o corpo.


Os exercícios agem tonificando músculos, auxiliando no equilíbrio e coordenação motora, o que torna o Pilates uma prática que é boa em todas as idades. Isso porque as limitações físicas, no que tange à prática, estão muito mais ligadas ao costume e a respeitar os limites de cada corpo, do que em alguma dificuldade inata da idade. Podemos listar benefícios e cuidados que tangem a cada faixa de idade, entretanto lembramos que é importante ter o acompanhamento de um especialista, pois determinados exercícios podem se encaixar melhor nas limitações etárias de cada pessoa, sem esquecer que isso por vezes varia de pessoa para pessoa:


Pilates para crianças: a partir de 12 anos já é interessante praticar o Pilates. Isso porque crianças muito mais novas perdem a atenção e a concentração rápido devido ao estado mental em desenvolvimento. Assim, com 12 anos se tem uma noção de que a criança respeitará a atividade e com atenção receberá os benefícios. Como os exercícios tem baixo impacto, é importante saber que não há prejuízos em nenhuma idade, mesmo quando criança, porém o domínio de posições mais complexas vem com o aumento da flexibilidade. O benefício principal vem na melhora da coordenação motora, noção espacial, o que dialoga com a fase de aprendizagem primeira, além de contribuir para o alinhamento cervical, que é muito prejudicado por má postura, sobretudo por carregar mochilas, sentar errado na escola, etc. A prática previne desvios posturais, corrige desde cedo vícios e até ajuda na manutenção do peso nas fases de crescimento.


Pilates para adolescentes: a prática continua benéfica, sobretudo por ainda ser essa uma idade escolar, alguns dos problemas da infância ainda serem vigentes e, sobretudo, ser necessário um cuidado especial com o peso em uma fase de desenvolvimento. O Pilates ajuda a desenvolver bem o corpo na puberdade, pois com as mudanças, pode-se achar desconfortos na postura, sobretudo para os que crescem depressa, o famoso “estirão”.


Pilates na vida adulta: geralmente é aqui que mais se pratica o Pilates, buscando inclusive o embelezamento do corpo através de exercícios que ajudam a tonificar músculos, porém na vida adulta é quando mais temos que corrigir maus hábitos e problemas, sobretudo de coluna. Os ganhos na saúde são intensos, tanto para mulheres quanto para homens, embora no caso das mulheres haja a vantagem de o Pilates também ajudar na gestação.


Pilates na gestação: para tudo se deve consultar especialistas e médicos, mas em períodos de gestação isso ganha um ar de cuidado excepcional. Justamente por isso separei um item à parte. Geralmente se pode praticar o Pilates até o final da gestação, sempre mantendo acompanhamento médico. Ter uma rotina de exercícios melhora muito a saúde da mãe e do bebê. Os planos de exercícios para gestantes geralmente são diferenciados, ajudando inclusive com inchaço. Para as que praticam durante a gestação a recuperação também é mais rápida no pós parto. Passado o período de quarentena a mamãe já pode voltar para suas aulas normalmente.


Pilates para idosos: talvez uma das épocas da vida onde mais se tem a ganhar com o Pilates é a terceira idade. Com a idade vem a perda de tônus muscular e ósseo, isso é algo comum à idade, porém com maior consciência do corpo, melhoramento no equilíbrio e fortalecimento muscular, é possível compensar grande parte dessa perda natural, evitando quedas, melhorando a circulação, diminuindo espasmos musculares e a respiração. Até mesmo para quem tem osteoporose é possível ajudar a compensar fraqueza óssea com músculos mais fortes. O aumento da flexibilidade ajuda muito com dores nas costas, e acaba sendo ideal para se cuidar da saúde nessa idade.


Apesar disso, muitas vezes idosos são melhores no Pilates do que adolescentes. Uma posição pode ser feita por qualquer pessoa independente da idade. Isso porque o físico e as limitações são particulares de cada um. Apesar de ter exercícios que podem ser indicados pelo instrutor como melhores para cada idade, o Pilates é só se conhecer e respeitar seus limites, os ampliando com cuidado. Por isso acompanhamento médico e respeito aos limites, expandindo práticas com tempo e costume é muito importante.



 

Marcelo Tuccio - educado físico e sócio fundador da Action 360º, franquia paulista de estúdios de Pilates e Treinamento Funcional.


https://www.action360.com.br/




 



 

 

 
 5 fatos que você não sabia sobre os efeitos da radiação solar na pele


Pode parecer um assunto restrito ao verão, mas a verdade é que não existe tempo ruim para a radiação solar causar efeitos imediatos e prolongados na pele. Seja no frio, seja no calor, ela não deixa de afetar o ser humano nem por um segundo. O profissional de saúde, particularmente o dermatologista, deve promover e identificar as medidas adequadas aos seus pacientes, com o objetivo de reduzir a exposição ao sol e prevenir o desenvolvimento do dano cutâneo agudo e crônico. José Pelino, diretor de Engajamento Científico da Johnson & Johnson para América Latina, reuniu alguns fatos que você precisar saber sobre essa energia onipresente, que tem efeito cumulativo no corpo. Confira!


1. Existe um filtro natural, mas não é suficiente

O sol emite radiação eletromagnética desde ondas de rádio até ondas gama, mas a maior parte dessa radiação é filtrada pela atmosfera antes de chegar à superfície da Terra, possibilitando nossa sobrevivência. A radiação que chega à crosta terrestre é composta principalmente pelo infravermelho (IV), principal responsável pela sensação de calor; pela luz visível, que nos permite enxergar objetos, distingui-los e diferenciar suas cores; e por fim, pela radiação ultravioleta (UV), responsável por importantes efeitos danosos à pele.


2. Diferentes radiações causam danos distintos

De toda radiação UV que chega à Terra, mais de 90% atravessa as nuvens. A radiação UV se divide em UVB e UVA, e ambas resultam em danos a pele. Os raios UVB (5%) atuam através de dano direto ao DNA, eles são os mais perigosos à saúde, atingem as camadas mais superficiais da pele e estão muito associados ao surgimento da vermelhidão. Já os raios UVA (95%) atuam através da formação de radicais livres na pele, eles penetram mais profundamente e estão associados ao surgimento de manchas com o passar dos anos. Tanto a radiação UVB quanto a UVA estão associadas à incidência de cânceres de pele. ¹²³â´

1. WHO/EHG/95.16

2. ISO 17166/CIE S007/E.

3. de Gruijl FR, Van der Leun JC. Health Phys. 1994;67(4):319-325.

4. Kligman LH, Sayre RM. Photochem Photobiol. 1991;53(2):237-242.


3. Temperatura versus Radiação

O índice de ultravioleta (IUV) não tem relação direta com a temperatura que medimos e sentimos na superfície da Terra. A sensação de calor é causada pela radiação IV e não pela radiação UV. É importante observar que mesmo com temperaturas baixas ou em dias nublados, existe a incidência dos raios UV e, por isso, é fundamental usar protetor solar mesmo nos dias nublados ou chuvosos.


5. Corrêa MP. A divulgação do IUV como prevenção ao excesso de exposição ao sol: uma contribuição da meteorologia para o desenvolvimento de políticas públicas para a saúde no País. In: XIII Congresso Brasileiro de Meteorologia, 2004, Fortaleza. Anais. Disponível em: http://mtc16b.sid.inpe.br/col/cptec.inpe.br/walmeida/2004/07.26.14.15/doc/Corrrea_A%20divulgacao.pdf


4. A água não protege contra a radiação UV

A água é capaz de filtrar a radiação infravermelho aliviando a sensação de calor, mas não é eficiente em filtrar a radiação UV. Mesmo tomando um mergulho a meio metro de profundidade, a intensidade da radiação UV é ainda 40% da intensidade apresentada na superfície da água. Outra curiosidade é que a espuma do mar, reflete de 10 a 30% da radiação solar.


5. No supermercado, você não compra "bloqueadores" solares

O protetor solar não funciona como "bloqueador" de radiação, e sim, como um filtro, atenuando a intensidade do UV principalmente através do mecanismo conhecido como absorção. Os outros mecanismos envolvidos são a reflexão e o espalhamento 6. Assim, quando a radiação UV entra em contato com o protetor aplicado na pele, a intensidade desses raios é reduzida pelo produto e o potencial de dano é minimizado. Quanto maior o valor de FPS, maior a atenuação da intensidade da radiação UV e maior a proteção.

6. Sayre R, Kollias N, Roberts R, Baqer A. Physical sunscreens. J. Soc. Cosm. Chem. 1990. 43:101-109.

 

 

Fonte: SUNDOWN®


 
 



 

 

Aula com bambolê é a tendência fitness para o Verão


É mais do que uma mistura de ballet com Pilates, a Bamballet é em uma aula de 60 minutos feita dentro do bambolê que permite que os exercícios intensos sejam realizados de maneira confortável entre movimentos que trabalham o equilíbrio em cada rebolado.

Novidade no Brasil e criado pela pioneira na modalidade no país, Audrea Lara, a prática deve ser realizada 3 vezes por semana e com a intensidade da aula que combina saltos e giros, é possível eliminar até 300Kcal de maneira divertida e lúdica.


Mas, a profissional alerta: “Não pode ser feito com bambolê infantil, pois o peso e o tamanho é específico para gerar movimentos de bamboleio e só com este acessório especifico da aula é possível que o praticante seja completamente envolvido pelo bambolê”, fala Audrea.


E não basta só bambolear, os movimentos devem ser feitos com os princípios de Pilates de centralização, para evitar lesões e dores na coluna, principalmente ao bambolear. “O Bamballet é uma técnica que usa conceitos de anatomia e biomecânica que garantem a segurança da metodologia”, fala.


Cada passo de dança mescla a coordenação motora aliada a força muscular, isso sem contar nos ganhos com o alinhamento postural que faz com que o bambolê passa por todas as partes do corpo, trabalhando todos os grupos musculares ao mesmo tempo unindo a força do pilates com a leveza e elegância do ballet.


“Não precisa ser expert em dança e nem ter brincado de bambolear na infância para se deixar fluir os movimentos que englobam o corpo todo, proporcionando mais força e equilíbrio“, diz Audrea. 


Recém-lançado no país, essa é mais uma das novidades do Ballet Pilates, que permite que qualquer pessoa, a partir dos 12 anos e sem limite de idade, possa treinar de forma segura e, principalmente, divertida para chegar no verão com tudo em cima. 




 

FONTE: Audrea Lara - Formada pela USP, Audrea Lara foi certificada em pilates nos Estados Unidos pela professora Romana Krizanowska, herdeira direta de Joseph Pilates. Audrea participou de diversas pesquisas sobre nutrição, aprendizagem motora, ginástica postural e avaliação e condicionamento para adultos e pessoas da terceira idade. Ministra cursos sobre reestruturação corporal e participou, como co-autora, do livro “Enxaqueca, Alívio Para o Sofrimento”, no qual ensina a aliviar a dor por meio de exercícios que melhoram a postura.

www.audrealara.com.br