Como combater ou controlar as espinhas?

Dermatologista consultora da megafarmácia Netfarma aponta as causas da acne, inclusive em adultos, e ensina como tratar os diferentes tipos do problema, de acordo com o grau

 

 

A acne não deve ser tratada como um problema de pele particular dos adolescentes, pois também é relativamente comum ver adultos sofrerem com as tão indesejáveis espinhas. Alterações hormonais, má alimentação, falta de cuidados com a pele e até estresse são alguns dos fatores que podem levar pessoas de diferentes idades a desenvolver essa doença da pele que afeta a aparência e por isso, até a autoconfiança de algumas pessoas.

“Condições de saúde e estilo de vida caracterizadas por rotina exaustiva, sedentarismo e maus hábitos alimentares favorecem o aumento na produção de sebo (óleo) pelas glândulas da pele, o que faz com que essa oleosidade excedente se deposite nos folículos pilosos, que ficam tomados por bactérias, e assim se inflamam”, explica a dermatologista Maria Paula Del Nero, consultora da megafarmácia Netfarma.

A alimentação também influencia na melhora ou piora da acne, mas não do jeito que se pode imaginar. O consumo excessivo de gorduras pode prejudicar a saúde e influenciar na beleza da pele, mas não há nenhuma comprovação científica de que esse grupo alimentar esteja relacionado ao aparecimento de espinhas. “Hoje se tem convicção de que são os carboidratos, como pães, massas, arroz e doces, que podem agravar ou desencadear o quadro de acne, pois eles aumentam o nível de insulina no sangue, sensibilizando a pele ao estímulo hormonal”, declara a dermatologista.

As formas de tratamento variam de acordo com a gravidade do problema. Para o tipo mais comum, a chamada acne vulgar, que atinge os adolescentes e adultos jovens e é caracterizada por espinhas e cravos superficiais na pele, o mais indicado é o tratamento tópico. “Ele engloba o uso de sabonete antiacne e filtro solar sem óleo durante o dia e de substâncias anti-inflamatórias à base de ácido retinóico e peróxido de benzoíla no período da noite, porexemplo Esses produtos ajudam na cicatrização dos furinhos”, afirma a Dra. Maria Paula.

Para os casos mais agudos, como a acne cística ou fulminante, mais comum, respectivamente, em homens adultos e adolescentes, apresentando cistos, nódulos e espinhas grandes e profundas, recomenda-se o cuidado via oral por meio de antibióticos. Mas ainda não é garantia. “Mesmo com o uso desses remédios, alguns pacientes podem continuar apresentando os sintomas. Nesses casos, indica-se outros medicamentos que exigem prescrição e controle médico especializado”, ressalta a consultora da Netfarma.

Escolher os produtos certos para cuidar da pele também é uma medida eficaz para combater ou, ao menos, controlar o aparecimento de espinhas. Mas engana-se quem pensa que os produtos para pele oleosa ou com acne podem ser usados livremente por quem lida com esses probleminhas. “Algumas composições podem ser tão fortes ao ponto de causar o ressecamento da pele, o que vai aumentar a produção de oleosidade para compensar essa perda excessiva, provocando um efeito rebote”, orienta a médica. Por isso, vale sempre consultar o dermatologista para saber quais são os melhores produtos para o seu caso.

 

 



 

 

 

 

 

Quatros chás detox podem te salvar após os dias de exagero


 

Sintomas da alimentação e bebedeira exagerada, que sobrecarregam sistemas digestivo e linfáticos, podem ser amenizados pelo uso de infusões das ervas naturais


 

 Chás: alternativas saudáveis para sintomas de indigestão e ressaca

 

A utilização de chás não apenas como bebida social, mas também como terapias e alternativas para tratamentos de disfunções e até de doenças, não é de hoje. Desde a antiguidade, curandeiros utilizavam ervas e plantas para cuidar de adoentados e flagelados. A infusão de ervas na água é uma prática antiga, que acabou ganhando adeptos em todo o mundo, em especial na Inglaterra, quando Catarina de Bragança difundiu a bebida, que passou a ser admirada também pelos seus benefícios.

 

“Graças aos seus poderosos antioxidantes – os polifenois – o chá traz inúmeras vantagens para a saúde física e mental, como a melhora dos níveis de concentração, é um estimulante do bem-estar geral, pode ser utilizado como prevenção e tratamento de aterosclerose (formação de placas nocivas nas paredes das artérias) e é ótimo na prevenção da diabetes”, explica o médico Theo Webert, que atua em nutrologia e em qualidade de vida.

 

Como forma de desintoxicação, o profissional elencou quatro ervas que, se consumidas após a infusão, podem ajudar na aceleração ou mesmo diretamente na limpeza do organismo, principalmente após períodos de grandes descuidos. Para o especialista, quatro tipos de chás são fundamentais:


 

Chá de dente-de-leão

 

Benefícios: diurético, aliado da pele, antioxidante, bom para o fígado

 

É conhecido também como “taraxaco”, “chicória-louca” ou “amargosa”. O dente-de-leão está presente em floração de campos e de gramados, no período de verão e outono. Com sabor amargo, mas fresco, esse chá atua no fígado, estômago e bexiga. “O dente-de-leão tem ação antirreumática, colágena, diurética e laxativa e, sem dúvida, é uma erva muito importante para o fígado”, diz.

 

 

 

Para quem se interessar, as folhas frescas do dente de leão costumam ser vendidas em casas de produtos naturais como um vegetal verde. São ingeridas como um vegetal verde de primavera para purificar o corpo depois do inverno, estação do ano em que as pessoas ficam mais sedentárias e comem em excesso. “As partes verdes da planta têm sabor semelhante ao do repolho crespo e são uma excelente fonte de nutrientes, em particular de oligo-minerais. As raízes do dente de leão e de outro vegetal aparentado, a chicória, podem ser torradas e usadas como substituto do café”, explica o médico


 

Hortelã

 

Benefícios: alivia náuseas, febre e tosse; aumenta o poder de concentração

 

Mais conhecido popularmente conhecido como menta, o chá tem sabor inconfundível e sua sensação é de refrescância e o seu cheiro agrada a muitos. É uma das ervas com várias utilidades no ramo culinário. “Em média, existem cerca de 50 tipos de espécies e é indicado para pessoas que sofrem com complicações nos órgãos digestórios”, afirma o médico Theo Webert.

 

Segundo ele, o hortelã não possui contraindicação e pode ser ingerido a qualquer hora do dia. “Uma das propriedades presentes no hortelã é o tanino, que age para eliminar os gases acumulados pelo corpo no processo digestivo. Sendo assim, esses gases são eliminados sem que ocorra nenhuma dificuldade”, explica.

 

Se for para escolher, opte pelas espécies de menta com verde mais forte nas folhas. “Isso indica que a espécie tem maiores propriedades medicinais onde podemos encontrar substâncias tanino, triterpenos, flavonoides, todas curativas”, continua.

 

A hortelã é usada principalmente para auxiliar o processo digestivo dos alimentos. “Lembre-se do hortelã naqueles dias que você inevitavelmente se alimentou de uma maneira exagerada”, orienta o médico.


 

Sálvia

 

Benefícios: ajuda a tratar secreções, flatulência, umidade na área genital e é usada também para secar o leite ao fim da amamentação. Não deve ser usada por lactantes. Ajuda ainda no tratamento da gengivectomia, atrofia e úlceras das gengivas.

 

Também chamada de “sálvia da horta”, “sálvia fina” ou “selima”, a planta pertence à família das labiadas. É originária do Sul da Europa é cultivada em hortas. “As flores da sálvia dos prados somente devem ser utilizados em gargarejos ou para preparar um vinagre de sálvia, deixando um punhado de flores em maceração em vinagre para fricções que atenuem dores”, afirma o médico.

 

Segundo ele, a planta produz óleos essenciais e ajuda a tratar a umidade na área genital, secreções, flatulência e é usada para secar o leite ao fim da amamentação, por isso não deve ser usada por lactentes. “O chá de sálvia ajuda na gengivectomia, atrofia e úlceras das gengivas”, continua.


 

Alcachofra

 

Benefícios: possui ação anticolestática, antiemética, tônico amargo, colagoga (para contrair a vesícula), depurativa, diurética, hepatoprotetora, restauradora das funções hepáticas, hipocolesterolêmica.

 

A alcachofra é uma planta leguminosa que chama muita atenção pela quantidade de benefícios para a saúde. No Brasil podemos encontrar a alcachofra fresca em estados como Paraná, Rio Grande do Sul e São Paulo. Com sabor amargo, picante e fria, ela atua no fígado, vesícula biliar e estômago. “A alcachofra serve para tratar e refazer os tecidos do fígado. Pode ser usada também para reduzir os sintomas da ressaca, além de auxiliar no processo de eliminação do excesso de água presente no organismo”, afirma Theo Webert.

 

Segundo o especialista, que atua também em qualidade de vida e bem estar, a alcachofra é um fitoterápico muito importante para o tratamento da depressão do fígado e da umidade-calor no fígado vesícula biliar ou a ela associada. “A alcachofra faz a energia do fígado circular, desinibindo a bílis, e transforma a umidade com sua acidez. Por ser amarga e fria, ela dissipa e drena o calor fortemente”, diz.

 

 


 
 

 



 

 

 

Nutricionista alerta aos perigos da dieta do jejum intermitente


Novo modismo alimentar surte efeito contrário e emite alerta de perigo ao organismo


Quando se trata da busca pelo corpo perfeito, muitas pessoas priorizam apenas a ideia estética e se esquecem do fator principal: a saúde. O novo modismo é a dieta do jejum intermitente, um método que incentiva a proibição alimentar por até 24 horas com a promessa de estimular o organismo a queimar a gordura estocada como principal fonte de energia.

Beatriz Botéquio, consultora em nutrição da Associação Brasileira das Indústrias de Biscoitos, Massas Alimentícias e Pães & Bolos Industrializados (ABIMAPI), alerta sobre os perigos desta “abstinência” e explica que durante o processo, o organismo usa a gordura do tecido adiposo como fonte de energia, com ação do glucagon, um hormônio ligado à quebra das moléculas de gordura.

“O problema é que o cérebro não entende esta redução da ingestão de calorias como uma situação benéfica para o emagrecimento. Ao invés disso, emite um alerta de perigo. O nosso corpo depende da produção de energia para poder funcionar corretamente e esse combustível só pode ser obtido através da alimentação”, explica.

Quando o jejum é interrompido, há uma elevada secreção de insulina, às vezes maior do que a necessária, levando à hipoglicemia. Além disso, as alterações no humor e hálito ruim irão aparecer com frequência. Fadiga e falta de concentração são outras consequências possíveis.

Então fique atento! Nem sempre o número mostrado no visor da balança é sinal de sucesso. O jejum intermitente não é uma opção saudável de perda de peso uma vez que não muda o comportamento alimentar. Uma dieta de emagrecimento precisa contar com o equilíbrio entre carboidratos, proteínas e gorduras, além de estar de acordo com a rotina de cada um.

“Se o seu objetivo é perder peso, lembre-se que passar fome não é a solução. Qualquer tipo de dieta restritiva pode trazer resultado em curto prazo; no entanto, os benefícios serão muito mais duradouros se houver uma reeducação alimentar”, conclui a nutricionista.

 

 



 

 

 

DICAS PARA UMA MAQUIAGEM NATURAL PERFEITA

Algumas famosas, como Jennifer Lawrence, Olivia Wilde e Charlize Theron se mostraram adeptas da make natural em grandes eventos. A profissional do Instituto Embelleze, Thaís Magalhães, revela alguns truques para utilizar o efeito natural e sedutor da tendência de make do inverno 2017

 

Make com pegada natural foi forte aposta entre as famosas no red carpet, como Jennifer Lawrence, Olivia Wilde e Charlize Theron. Por isso, a proposta para o Inverno 2017 está na associação da maquiagem com a pele natural e iluminada, associada ao efeito laqueado, para uma aparência sedutora e sofisticada ao mesmo tempo. A consultora de desenvolvimento pedagógico do Instituto Embelleze, Thaís Magalhães, dá cinco dicas de como deixar a maquiagem natural perfeita e ainda estar por dentro das tendências do inverno.


1 – Use os pinceis ideais

Utilizar os pincéis errados pode levar ao desperdício do produto e uma aplicação exagerada, com aspecto pesado, em determinadas áreas do rosto. “Um dos erros mais comuns é utilizar o pincel de pó para blush. O pincel para o pó é bem maior, já que sua função é distribuir o produto por todo rosto de forma uniforme. Ao ser utilizado para o blush, a chance de “exagerar” é maior, causando um efeito muito marcado e artificial,” explica Thaís. Para a profissional, um kit de pincéis é um investimento que vale a pena, pois cada modelo de pincel foi desenvolvido com a anatomia correta para cada textura de produto.


2 – Tome cuidado com as cores

Escolher a base que acompanha o tom natural da pele lidera o topo da lista de cuidados. “Não adianta desejar um efeito natural, se a base ou o pó escolhidos estão um tom acima ou abaixo da pele”, diz ela. Para escolher o tom ideal, a dica é aplicar o produto próximo ao maxilar e na lateral do rosto. Se aquela região não diferir da cor do pescoço, então a cor está certa.


3 – O poder das sobrancelhas

As sobrancelhas precisam harmonizar com a maquiagem, ou seja, não adianta a make estar discreta e as sobrancelhas aparentarem um acabamento pesado. “Elas desempenham um papel fundamental no efeito final da maquiagem. Se a intenção é ficar natural, então use uma sombra com tonalidade aproximada a cor das sobrancelhas, porém com muita delicadeza,” esclarece Thaís.


4 – O iluminador

Os iluminadores destacam os pontos fortes do rosto que merecem ser valorizados. Eles também minimizam as imperfeições e deixam a maquiagem com um frescor natural. A dica da profissional do Instituto Embelleze é “neste caso, o menos é mais. Se exagerar no iluminador, ele poderá evidenciar pontos do rosto de forma negativa, principalmente em fotos com flashes. Lembre-se que todas as áreas tocadas pelo iluminador serão projetadas para frente, portando, é preciso saber utilizar este efeito a seu favor”.


5 - Hora de Arrasar

Aproveite a tendência das passarelas e invista em uma pele natural e iluminada, com um delineado bem definido e marcante nos olhos e um batom com acabamento laqueado “para criar este efeito, invista em um bom gloss incolor por cima do batom escolhido” explica a consultora do Instituto Embelleze.






 

 

 

Fique por dentro das tendências de cabelos para o outono-inverno 2017

 

 Fique por dentro das tendências de cabelos para o outono-inverno 2017


Toda mulher gosta de mudar o visual e a virada de estação é uma excelente oportunidade para valorizar as madeixas e levantar a autoestima. A temporada outono-inverno 2017 terá um toque de rebeldia e será marcada por fios levemente ondulados, bagunçados e com volume natural. A recente cerimônia do Oscar já revelou algumas tendências: cabelos curtos assimétricos, "messy hair", "a-line" (médio e com fios retos), "long bob" e longos em camadas. Quando o assunto é penteado, os queridinhos da vez serão: coques descontruídos e descentralizados e rabos de cavalo no estilo "wet hair" (efeito molhado).

As cores prometem fazer a cabeça das mulheres nesta temporada. As escolhas podem variar entre: loiro escuro, dourado platinado ou acobreado, castanho claro ou escuro, castanho médio e mel, chocolate, preto perolado e ruivo acobreado. "A avaliação do cabeleireiro é fundamental para escolher o estilo de corte e a cor que mais combinam com o formato do seu rosto e a estrutura das suas madeixas. Antes de adotar a mudança, também é importante realizar uma boa hidratação nos fios", ressalta Marília Kikuchi, técnica de beleza da Condor.

Cortes que prometem fazer sucesso

Curto assimétrico - é aquele estilo desconectado e mais curto de um lado do que do outro. É o queridinho de anônimas e famosas. O corte permite franja lateral que dá um ar ainda mais despojado ao cabelo. "Ao contrário do que possa sugerir, o modelo exige habilidade, com tesoura ou navalha, para resultar no aspecto leve e desestruturado, versátil e moderno", explica a técnica de Beleza da Condor.

Messy Hair - corte na altura do queixo ou ombros com franja e fios desconectados. Para dar o ar de bagunçado, é importante finalizar o look com mousse ou pomada.

Long Bob - um corte sofisticado e uma excelente opção para quem quer mudar sem radicalizar. O comprimento é de três a quatro dedos abaixo dos ombros. Combina com todos os tipos de rostos e estilo de mulheres.

A-line - um corte todo feito em fio reto. Entre os médios, é um dos favoritos das mulheres.

Longos em camada - se a tendência é deixar as madeixas mais leves e despojadas, cortes com camadas, repicados e desfiados cumprem esse papel com perfeição. "As mulheres que têm fios finos ganham volume com cortes desse tipo. Já para as que possuem madeixas mais pesadas, o estilo reduz a altura do cabelo. Essa é uma opção tão versátil que fica bem com os fios soltos, com chapinha, em coques ou em rabos de cavalo", afirma Marília Kikuchi.

Cores da temporada

Loiros - o dourado marca presença na estação fria. A dica é deixar as pontas mais douradas e a raiz mais clara. Outros tons vêm com força total, como o loiro mel e o escuro, e são ótimas opções para deixar o visual mais natural. Para iluminar, que tal aderir às mechas finas, nas cores bege, mel, platinado, caramelo, castanho ou acobreado? Segundo a técnica de beleza da Condor, "o ton sur ton, ou tom sobre tom, nunca sai de moda, além de ser menos agressivo aos fios".

Para as mais ousadas e que adoram transformações radicais, uma boa alternativa é descolorir o cabelo e conquistar o platinado, quase branco. Este processo impacta bastante os fios, por isso, é fundamental aumentar os cuidados com as madeixas, como, por exemplo, intensificar as hidratações. Um importante aliado é o "shampoo desamarelador", para evitar o temido tom amarelado que destrói o visual.

Strawberry Blonde (loiro acobreado) - sucesso no verão, a tendência marca presença também no outono-inverno 2017. O mix das cores ruivo e loiro é a sensação entre as mulheres. Para as loiras que não querem mudar o visual por completo, mechas finas com fundo avermelhado dão um ar sofisticado e moderno.

Castanhos - claro, mel, escuro, médio e chocolate. "O lema da temporada é: quanto mais naturalidade, melhor", garante Marília Kikuchi.

Preto Perolado - é uma cor considerada tradicional entre as brasileiras e agrega ao visual sensualidade e mistério.

Penteados da estação

Coques - este penteado é como aquele vestido preto básico, que combina com qualquer ambiente e ocasião. Os preferidos, nesta estação, serão os coques bagunçados, descentralizados e com muito desfiado.

Rabo de cavalo - para valorizar ainda mais este penteado coringa, pode-se fazer um topete simples no cabelo. Basta separar uma mecha na frente, entre os olhos, eriçar o cabelo por trás para dar mais volume, juntar a mecha e prender os fios com elástico de silicone para não marcar. Para dar uma nova roupagem ao penteado, a moda é investir no efeito molhado, conhecido como "wet hair". O resultado perfeito pode ser obtido utilizando um pincel de tintura ao aplicar a pomada modeladora nos fios da lateral da cabeça.

 

 

 

Condor
http://www.condor.ind.br/ / SAC: 0800 47 6666

 



 



 

 

 

 

Conheça hidratações fáceis para tratar os cabelos em casa

 

Cabeleireiro dá as principais dicas para quem quer se cuidar e deixar os fios prontos para tudo


Quem nunca sentiu que os cabelos precisavam de uma hidratação extra que atire a primeira pedra. Cada vez mais os procedimentos como alisamentos, chapinha, baby liss, coloração e luzes ganham os corações de homens e mulheres e acabam afetando os fios, deixando-os, muitas vezes, ressecados e quebradiços.

Pensando nisso, o cabeleireiro e químico Marcos Dal Bello, também conhecido como ‘Dr. Cabelo’, criador da técnica de alisamento Bello Liss, feita com 100% de produtos naturais, como o tutano de boi, criou uma lista com hidratações que podem (e devem) ser feitas em todos os tipos de cabelo e ajudam a fortificar  e reparar os fios dos danos do dia a dia.

De acordo com Dal Bello, ir ao salão tratar as madeixas é fundamental, mas ter um cuidado diário faz toda a diferença na hora de ter aquelas cobiçadas madeixas de modelos. "Conto com um microscópio que aumenta o fio em 300 vezes e, através disso, consigo ver as principais deficiências do cabelo e quais vitaminas faltam nele. É importante ir ao salão para tirar todas as dúvidas, mas é essencial que todo mundo matenha os cuidados em casa também e essas hidratações ajudam muito"  contou.

Ainda de acordo com o especialista, é importante que as pessoas comecem a se interessar pelo uso de produtos naturais, pois muitas químicas podem afetar até mesmo a saúde. “Quando entrei na faculdade de química decidi fazer um alisamento que fosse natural e não gerasse problemas de saúde. Esse já é meu trabalho há 30 anos e ver que as pessoas estão se importando de verdade com a saúde e a beleza é muito gratificante para mim”, afirmou.

Entre as máscaras selecionadas por Dal Bello, destacam-se as que utilizam frutas, como o mamão e o abacate e o leite de vaca integral, que é usado em casa em diversas receitas. “As frutas têm propriedades super importantes que conseguem restaurar os cabelos. Já o leite, pela quantidade de cálcio, conseguem fortificar e deixar os cabelos mais bonitos ainda." 

 

Confira as receitas:

- Hidratação do Leite: Utilizando uma bola de algodão, aplique leite (sem ferver) em toda a extensão do cabelo, inclusive na raiz. Deixe agir por uma hora e lave o cabelo como de costume.

- Hidratação com óleo de coco: aplique o óleo de coco em toda a extensão do cabelo, inclusive na raiz e no couro cabeludo, e massageie bem. Deixe agir durante a noite e enxague pela manhã.

- Hidratação com banana: misture uma banana madura amassada, uma colher de óleo de amêndoas e duas colheres de mel até ficar homogêneo. Aplique a mistura em toda a extensão do cabelo e deixe agir por 30 minutos. Enxague bem com água morna.

- Hidratação com leite em pó: acrescente água a 1/4 de leite em pó até formar uma pasta homogênea. Aplique a mistura em todo o cabelo, massageando. Envolva a cabeça com uma toalha aquecida e deixe agir por alguns minutos. Enxague e finalize lavando com xampu.

- Hidratação com maionese e abacate: amasse um abacate maduro e misture bem com uma xícara de maionese. Aplique a mistura nos fios, da raiz às pontas. Deixe agir por 20 minutos e lave os cabelos com xampu.

 

 

 

Dal Bello Cabeleireiro

Rua Chacuru, 03 - São Miguel Paulista

(11) 2584-4123

 

 

 



 

 

 

Mamãe saudável: saiba como recuperar a boa forma após o período de amamentação

 

É possível recuperar o peso e ainda enxugar a silhueta sem colocar a saúde em risco


Depois da chegada do bebê muitas mulheres desejam retornar ao antigo peso, antes da gravidez, e recuperar a forma física. Não se trata apenas de estética, para elas é uma questão de obter os benefícios de um corpo mais leve e saudável, com mais energia e disposição para encarar a nova fase da vida. Entretanto, boa parte encontra dificuldades de aplicar os tradicionais métodos de dietas e exercícios que praticavam antes da gestação, e é aí que surgem muitas dúvidas sobre a forma mais adequada de eliminar o excesso de peso de acordo com a nova rotina.

O quadro pode até parecer pior do que realmente é, afinal existem muitos agravantes. A experiência de gestação e nascimento do bebê pode gerar um leque de emoções ao mesmo tempo e essas variações de sentimentos acabam fazendo com que a mulher coma em excesso ou não se alimente o suficiente, acentuando seu cansaço e falta de energia. É importante, nesse momento, ter paciência para lidar com as mudanças emocionais e fisiológicas pelas quais o corpo está passando e buscar o equilíbrio para preservar a saúde tanto da mãe quanto do bebê.

A importância do aleitamento materno

Logo após o parto é normal que a mulher continue com uma barriga acentuada, muitas vezes, aparentando estar no quinto ou sexto mês de gestação, mas, com o decorrer dos dias, essa barriga tende a diminuir gradualmente. A amamentação é um dos principais responsáveis pela perda de peso inicial da mulher, mas nem sempre é suficiente para que todo o peso extra seja eliminado.

Como o corpo funciona durante a amamentação

Durante o parto, a mulher perde instantaneamente cerca de seis quilos, que correspondem ao peso do próprio bebê, da placenta, do líquido amniótico e dos sangramentos. Após isso, a amamentação passa a ser a maior responsável pelo gasto calórico e eliminação de gorduras. Nessa fase a produção de hormônios é estimulada e faz com que os órgãos reprodutivos iniciem o movimento de regressão para voltar ao seu estado normal e o útero também começa a se contrair para recuperar sua forma original.

O corpo queima gordura para produzir o leite, principalmente nos primeiros meses, então, quanto mais o bebê mamar, mais peso será eliminado – estima-se que em cada mamada a mãe pode queimar cerca de 380 até 600 calorias. Além disso, o aleitamento também favorece a liberação de um hormônio chamado ocitocina, que está associado à diminuição do risco de depressão pós-parto e ainda auxilia o processo de contração do útero, contribuindo para a redução do perímetro abdominal.

No entanto esta é a fase que exige maior atenção, pois parte dos nutrientes ingeridos pela mãe através da alimentação são direcionados ao bebê por meio do leite, ou seja, os cuidados com a dieta devem ser redobrados. Nesse momento a prioridade deve ser a qualidade do cardápio e não a quantidade, visando o bem estar tanto da mãe, que necessita de mais energia para a produção do leite, quanto do bebê que necessita dos nutrientes para seu desenvolvimento.

A amamentação acabou, e agora?

Os hábitos adotados nesse período são determinantes para remodelar o corpo feminino. Após a amamentação, geralmente, o médico libera a prática de exercícios de maior intensidade, conforme o perfil individual de cada mãe, pois os órgãos já regressaram ao seu lugar e o útero já está no tamanho normal. O desconforto também é reduzido, já que a mama não estará mais cheia, e o desempenho melhora.

A nutricionista Sinara Menezes afirma que essa é a hora ideal para começar a reduzir a ingestão calórica: “Quando acaba o processo de produção do leite, o metabolismo volta ao normal e se estabiliza, portanto, para continuar queimando calorias e perder aqueles quilinhos a mais que não foram embora com a amamentação é necessário começar a controlar o cardápio, se alimentar em pequenas porções distribuídas ao longo do dia e investir em alimentos funcionais, juntamente com a prática de exercícios regulares” – explica a especialista.

Dietas restritivas não são uma boa alternativa

Durante o aleitamento materno os regimes não são recomendados, mas após esse período já é possível aumentar o consumo de alimentos estratégicos que favoreçam o emagrecimento, porém, a profissional da Nature Center alerta que para restringir algum grupo alimentar ou fazer alguma alteração significativa no cardápio o ideal é buscar o auxilio de um especialista, que poderá avaliar as condições fisiológicas individuais da paciente e indicar a dieta mais adequada.

“É importante ter cuidado para não seguir um regime muito rígido, mesmo após a amamentação a nova mamãe ainda necessita de muita energia para lidar com um bebê pequeno, que está começando a se desenvolver e que ainda não dorme a noite toda. Os cuidados de um bebê no seu primeiro ano de vida exigem atenção redobrada, para lidar com isso e com a rotina de trabalho, seja no lar ou no escritório, a mulher precisa estar com a saúde em dia e bem nutrida e isso requer um cardápio rico em alimentos naturais que fornecem energia e aumentam a disposição” – acrescenta Menezes.

O segredo está no equilíbrio

Excessos são tão prejudiciais quanto restrições. Abusar dos exercícios físicos em prol do emagrecimento rápido nessa fase pode exigir um sacrifício extenuante que o corpo ainda não está preparado para encarar, assim como reduzir as quantidades dos alimentos drasticamente só porque não está mais amamentando pode resultar num efeito contrário e desacelerar ou, até mesmo, prejudicar o metabolismo. A moderação é a chave para conseguir alinhar as atividades físicas e a dieta a favor do corpo e obter os resultados desejados preservando a saúde da mulher.

Adote um cardápio balanceado e estratégico

O processo de emagrecimento após o período de amamentação costuma ser mais lento, muitas mulheres relatam dificuldade para perder apenas os dois últimos quilos que ganharam durante a gravidez. Isso acontece porque o metabolismo não está mais acelerado constantemente pela produção do leite materno, mas existem alimentos funcionais que podem facilitar esse processo, acelerando novamente o metabolismo, favorecendo a queima de gorduras e combatendo a retenção de líquidos.

Aposte nos termogênicos: capazes de acelerar o metabolismo e potencializar a queima de gordura corporal, alimentos como canela, gengibre, pimenta vermelha, café e outros, são liberados após o período de amamentação. Esses alimentos aumentam a temperatura do corpo e fazem com que o organismo trabalhe mais para digeri-los, gastando mais energia nesse processo.

Hidrate-se: a água é um estimulante poderoso e natural para o bom funcionamento dos rins, acelerando o processo de eliminação dos líquidos e impurezas retidos no corpo, colaborando assim para uma considerável redução dos inchaços e melhorando o aspecto da pele. Recomenda-se a ingestão de, no mínimo, dois litros diariamente.

Não se esqueça das fibras: presentes em vegetais e carboidratos integrais, além de facilitar o trânsito intestinal, elas ainda garantem maior saciedade por muito mais tempo após as refeições e também são capazes de impedir a absorção total da gordura ingerida através dos alimentos. Mas é importante lembrar que quando se aumenta o consumo de fibras deve-se aumentar também a ingestão de água, para que o intestino funcione perfeitamente.

A nutricionista ainda recomenda o uso dos chás, que também ajudam a manter o corpo hidratado. Há os energizantes, que podem reduzir a sensação de fadiga e aumentar a disposição para o dia a dia, como o chá verde, o chá branco e o chá de hibisco, ou ainda, para aquelas que precisam relaxar e aliviar o estresse há os chás considerados “calmantes”, como camomila, erva-doce e hortelã.

Respeite seu corpo

Assim como o corpo precisou de nove meses para se transformar e se preparar para a chegada do bebê durante a gestação, também será preciso tempo e muita disciplina para voltar a ser da forma que era antes. Não existem milagres e cada fase desse processo deve ser respeitada. O aleitamento materno é tão benéfico para o bebê quanto para a mãe, mas após esta etapa a rotina começa a se estabilizar, assim como o organismo. Algumas pessoas demoram menos tempo que outras para recuperar a boa forma, isso varia de acordo com diversos fatores como genética e condições fisiológicas de cada mulher. O mais importante é ter paciência e respeitar o próprio corpo, priorizando sempre a saúde e bem estar da mamãe e do bebê.



Fonte: Nature Center