Mesmo no frio, excesso de sono pode ser sinal de alerta

 

 

Que o frio do inverno faz um convite irresistível para uma cama quentinha e um filme, todo mundo sabe. No entanto, a vontade permanente de querer dormir ou até mesmo de ficar deitado pode ser um alerta emitido por nosso organismo. Quem dá o aviso é o médico Theo Webert, que atua em nutrologia e qualidade de vida.


 

Segundo ele, é normal sentir vontade de se jogar na cama depois de um dia todo fora de casa, mas todo o excesso precisa ser bem observado. “Sentir aquela fadiga incompreensível por vários dias consecutivos é sinal de que algo não vai bem com sua saúde. Quando digo saúde, me refiro tanto a saúde física como mental”, afirma.

 

 

O especialista elenca que sedentarismo, desequilíbrio hormonal, má alimentação, estresse e sono acumulado são alguns dos problemas que contribuem para o cansaço. “Se não tratado, pode provocar baixa autoestima, enxaquecas e até outras doenças no organismo como psoríase e gastrite,”, revela.

 

 

A alimentação bem regulada é, para o médico, a melhor alternativa para despistar e evitar sintomas da fadiga. “O grande segredo de nosso corpo é respeitá-lo e isso começa com uma dieta saudável, que reequilibre nossas funções vitais, valorizando sempre a alimentação rica em frutas e verduras frescas”, lembra.

 

 

Além disso, continua, praticar exercícios físicos e relaxar pode não só ajudar como também prevenir o problema. “Em todo caso, sempre é bom procura uma avaliação médica, já que cada corpo é um universo”, ressalva.

 

 

 

 



 

 

 

Não há nada que comprove efeito terapêutico no fidget spinner, afirma neuropediatra

Brinquedo febre do momento não tem fins terapêuticos e pode distrair ainda mais as crianças com dificuldades de concentração, fazer os autistas perseverar no movimento ou até se machucar

 

Muitos pais têm dúvidas sobre a mais nova moda no mundo dos brinquedos: o fidget spinner. Feito de plástico, com três ou mais pontas, gira entre os dedos e lembra o movimento de um peão. Porém, o que preocupa os especialistas em desenvolvimento infantil não é o brinquedo, e sim as afirmações sobre seus fins terapêuticos, assim como os riscos de lesões que o brinquedo oferece. 

Segundo Dra. Karina Weinmann, neurologista infantil, cofundadora da NeuroKinder, afirmar que o brinquedo é terapêutico para crianças com Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) é muito perigoso, uma vez que não há nenhum estudo científico que comprove essa afirmação, podendo gerar expectativas infundadas nos pais.

“Qualquer objeto que desperte o interesse e a motivação da criança irá promover o treinamento do foco atencional, pois a novidade, a satisfação e a superação com as manobras criadas alimentará o sistema de recompensa, liberando neurotransmissores, principalmente a dopamina, psicoestimulante que ativa essas sensações de bem-estar de prazer e alegria. Isso ajuda a aliviar as tensões, atingindo um nível de relaxamento e reduzindo, temporariamente, a ansiedade”, explica a médica.

“Também pode ajudar a reduzir o estresse e ansiedade. Mas, apesar destes aparentes benefícios, precisamos compreender que a criança com diagnóstico de TDAH pode recorrer a ele em situações muitas vezes inadequadas, como na sala de aula ou em momentos que pode servir como distração e atrapalhar a modulação, tanto da atenção quanto do humor. Como todo brinquedo, deve ser definido tempo e horário para utilizá-lo para que não passe da medida e inverta o efeito proposto pela criadora há 20 anos”, diz Dra. Karina.  

O tratamento do TDAH é complexo e visa ajudar a criança a desenvolver seu autocontrole, com limites e regras definidas, por pais e professores. O excesso de estímulo externo é prejudicial para quem tem TDAH. “Isso quer dizer que uma criança que leva um brinquedo desses para a sala de aula não vai prestar atenção na matéria, pelo contrário, só vai se distrair ainda mais. Quem tem a hiperatividade, vai ficar ainda mais agitado. O spinner não é bom em nenhum dos casos”, diz a médica.  

“A decisão de comprar ou não o brinquedo é individual, mas é preciso ter em mente que se trata apenas de um brinquedo, nada mais”, conclui Dra. Karina.



 
 



 

 

 

Você está seguindo sua vocação ou sua carreira?


Vocação ou talento vem antes de qualquer carreira, ou pelo menos, deveria vir. O ponto é que, não fomos criados – ao menos as gerações X nascidos entre 1965 e 1979 e Baby Boomers nascidos entre 1945 e 1964 – para isto.

Eu, por exemplo, fui criada para ter um emprego e de preferência estável que durasse a vida toda, para ter uma aposentadoria e aí desfrutar a vida. Talvez também seja o seu caso e o caso de milhões de pessoas.

Tive que romper com este paradigma, pois quero desfrutar a vida ao longo da jornada e não apenas quando aposentar. Aliás, quando fazemos o que gostamos, o que realmente amamos, a nossa vocação, não pensamos em aposentadoria, pois o trabalho não é um peso a ser carregado.

Só conseguimos identificar a nossa vocação e nossos talentos com o autoconhecimento e muitas vezes ainda precisamos da ajuda de um coaching ou mentor. Conhecer a si próprio permitirá encontra algo acima da carreira: sua verdadeira vocação.

Nossos talentos são originados pelas conexões que acontecem no cérebro, criadas desde a concepção até cerca de 15 anos e é por isso, que após uma certa idade, você não é mais capaz de esboçar um desenho completamente novo no cérebro, ou seja, criar um talento completamente novo.

Ao nascer, o cérebro está cheio de células e sinapses que depois vão diminuindo à medida que você avança para a idade adulta. Na verdade, passa a focar mais sua inteligência, que depende de seu sucesso de tirar proveito das conexões (sinapses) mais fortes. Entre a idade de 3 e 15 anos, as pessoas perdem bilhões e bilhões das conexões sinápticas cuidadosamente forjadas pela biologia. E no seu primeiro dia com 16 anos, metade da sua rede já se foi, e não podemos refazê-la! Em função da biologia do nosso cérebro, é que nossos talentos surgem de forma tão simples e natural e fazem o sentido que damos ao mundo ser individual. São as nossas conexões mais fortes que definem as nossas aptidões e talentos.

 

E na essência do seu conjunto talentos está a grande vocação. Vocação vem do latim vocare, que significa chamar. Já dom, no inglês é gift, que significa presente. O dom é um presente que recebemos e dependendo da sua crença, pode-se dizer que é um presente de Deus, ou olhar para a biologia como mencionado acima. Independente qual lado escolhe, os talentos vem com cada um de nós desde que nascemos. O que podemos fazer é torna-los ponto forte com a prática. Mas este é assunto para um próximo artigo.

Quando se descobre o dom, é possível fazer seu trabalho com vontade, amor, qualidade e excelência.  O indivíduo quando descobre o dom não trabalha olhando para o relógio, busca fazer as tarefas com sentimento de satisfação.

 

Dicas úteis -

Seguem três dicas para descobrir o que vai lhe dar real satisfação:

- O que gosto de fazer?

- No que eu sou bom?

- O que o mercado está disposto a pagar pelo o que sou bom?

Esta terceira pergunta, irá lhe fornecer a pista de como desenvolver sua carreira ao invés de ter simplesmente um emprego e sofrer no domingo de noite pensando na segunda feira ou mesmo, trabalhar contando as horas para ir embora, esperando o final do mês para ganhar um punhado de dinheiro. A vida é muito rápida para desperdiçarmos a nossa existência com trabalhos que não trazem felicidade. pois ela é a própria jornada. Fazendo o que se ama fazer, além de aumentar seu nível de felicidade, você diminui seu stress e ainda poderá ganhar muito dinheiro, pois, horas adicionais de dedicação não serão um fardo.

Abraço carinhoso e até o mês que vem.

 

 

 

Carla Weisz - consultora de carreira,  autora do livro ‘O Dono da História’; palestrante; especialista em desenvolvimento de Líderes, Cultura e Engajamento e RH Estratégico.

 

 

 



 

 

 

"10 Passos para o Amor"

 

 

1)            Tudo começa em si mesmo. Portanto, cuide de você e se coloque em primeiro lugar! Se você quer atrair energia amorosa para a sua vida, crie um campo propício a sua volta. Goste de quem você é e seja gentil com você! Permita-se fazer o que gosta, comer o que tem vontade, vestir o que acha bonito e andar por caminhos que sempre quis conhecer. Em outras palavras: coloque seu campo áurico em sintonia com o prazer de ser quem você é de verdade.

 

2)            O que está em cima é como o que está embaixo. Não adianta se arrumar lindamente, colocar seu melhor ‘look’ se por dentro você ainda carrega mágoas dos seus relacionamentos anteriores. Limpar esse passado ajuda a desbloquear energias densas e fazer fluir novamente coisas boas para sua vida. Lembre-se: ninguém consegue se sentar em um banco já ocupado! Energia ruim também ocupa espaço. Livre-se das mágoas já!

 

3)            Sorria com os olhos. O contato visual é um dos melhores cartões de visita que você possui. A troca de olhares entre as pessoas expressa sentimentos ocultos que, muitas vezes, são responsáveis pelo que todos chamam de atração à primeira vista. Preste atenção quando olhar profundamente nos olhos de um desconhecido, pois você saberá se ele tem interesse em você se não desviar o olhar antes de três segundos.  Você nunca ouviu falar que os olhos são a porta da alma? Abra os olhos para o amor!

 

4)            Todo mundo tem um cheiro característico. Você sabia que a última recordação que o casal tem, quando se distancia, é a memória olfativa? Não é à toa que os animais se reconhecem pelo cheiro. Também é por isso que existe a expressão “isso não me cheira bem” quando algo é desagradável. Portanto, apesar de cada um ter seu cheiro particular vale a pena investir em um perfume específico e ser fiel a ele. Será sua marca registrada, além de despertar familiaridade e intimidade em uma relação. É tiro e queda!

 

5)            Use e abuse das suas características. Faça uma autoanálise sobre seus três pontos fortes. Quais são suas três características pessoais mais marcantes? As positivas, claro! São elas que você vai usar para se sentir segura em um encontro. Nada de falar sobre seus defeitos. Isso é má propaganda! Deixe que o tempo se encarregue disso. Contudo, trate de sublimá-los. Nenhum diamante brilha sem a devida lapidação.

 

6)            Se você quer conhecer alguém, fale menos e ouça mais. Nada é mais desagradável em um encontro do que o monólogo. A base de todo relacionamento é a troca e se você fala muito não dá oportunidade ao outro de se expor e revelar seu verdadeiro eu. Colocar palavras na boca do outro é sacrilégio. Metade da resposta está sempre na pergunta. Então, não fale além do que é questionado e preste atenção ao conteúdo das perguntas, pois em suas entrelinhas reside toda a intenção e rumo do encontro. Menos é mais!

 

7)            Faça mistério! Guarde um pouco seus encantos. As pessoas são muito curiosas. Se no primeiro encontro você já fizer uma retrospectiva de toda sua vida, porque haveria o segundo? Conte sua vida e intimidade para quem merece e está realmente interessado em você. Deixe que o outro vá embora com gostinho de quero mais. Tal qual um bom livro você tem que aguçar a vontade do outro em querer te desvendar. Dessa maneira, a pessoa receberá somente o que for conquistado e de acordo com a confiança que está sendo gerada. Se o objetivo são laços afetivos mais duradouros vá com calma. Tudo que cresce lentamente cria raízes profundas. Portanto, invista nas cenas dos próximos capítulos!

 

8)            Permita-se ser procurado. Se você gosta de tomar a iniciativa e sempre dar o primeiro passo, guarde um pouco sua ansiedade e coloque o motor no ponto morto. As pessoas facilmente entram em comportamentos padrões e estabelecem uma rotina. Quando você faz sempre as mesmas coisas obterá sempre os mesmos resultados. Como você saberá se o outro está interessado em você de verdade se toda iniciativa é sua? Encha metade do copo e deixe que o outro, no devido tempo, preencha o resto. Um relacionamento é feito de duas pessoas e é logo no início que esse fluxo é traçado. Faça sua parte, porém só a sua parte!

 

9)            Diga a verdade! Muita gente quer estar em um relacionamento, mas não assume isso. Se você diz que quer só “ficar” e não está interessada em nada sério é exatamente isso que o universo te trará. O que você fala cria sua realidade. Pense e escolha suas palavras. Elas definem o seu futuro. Decida o que quer de fato em termos de relação a dois e estabeleça suas prioridades. Não leve em conta conceitos, sociedade ou exemplos de outros casais. Seja fiel ao que você realmente espera de uma relação e tenha coragem de se expressar. Peça e receberás!

 

10)           A melhor maneira de viver o amor é amando. Recebemos tudo que emitimos. A lei da ação e reação é implacável. Após ter cuidado de você, chegou o momento de dividir com seu entorno. Ninguém pode dar o que não tem, não é mesmo? Comece com simples gestos no dia-a-dia: seja gentil com as pessoas no trânsito, nas filas de banco e principalmente no ambiente familiar. Doe o seu melhor a cada instante. Espalhe o amor por onde quer que vá. Quando estamos repletos de algo, desejamos doá-lo. Feito isso, a corrente do bem se encarregará de atrair a pessoa certa para o momento, seja ele de um dia, de uma semana ou de uma vida toda. Abra os braços e colha o que plantou. Você merece!



Dricca Rhiel - Palestrante Extrassensorial & Especialista em Oráculos e Relacionamentos

Para saber mais, acesse: www.driccarhiel.com

 

 

 




 

Conheça os exercícios que evitam lesões decorrentes do uso exagerado do celular

Postura inadequada pode gerar danos ao pescoço e a lombar


 

O uso exagerado do celular pode causar diversos danos à saúde, entre elas, à postura do corpo. Ao utilizar o celular por longos períodos, a coluna e o pescoço ficam em uma posição desconfortável, devido à inclinação para baixo. O mesmo ocorre com o pescoço e os ombros, a posição incorreta pode aplicar uma pressão deformada sobre tais músculos.

 

A postura inadequada pode levar a dores no pescoço e costas, que vão de uma dor crônica, até pontadas mais graves. O preparador físico Bruno Macedo, explica que o ato de digitar, com o passar do tempo pode causar tendinite ou inflamação, sendo assim, o usuário precisa tomar algumas medidas para minimizar as sequelas.

 

O polegar é bastante afetado, o desconforto nas mãos pode gerar a osteoartrite do polegar. “Entre as patologias que o uso excessivo do polegar para digitar e navegar pode causar, estão a mialgia (dor nos músculos das mãos), a artrite (inflamação da articulação do polegar) e até tendinite (inflamação dos tendões do polegar)”, orienta Bruno.

 

Para quem não abre mão do celular, a alternativa é realizar algumas atividades para minimizar os transtornos e até mesmo tratar o uso constante do aparelho. Dentro da academia podemos fazer a junção de exercícios de Yoga que envolvem relaxamento, alongamento e uma boa dose de fortalecimento muscular, o uso do pilates que trabalha com o princípio de alongamento e fortalecimento do CORE e a musculação, que trabalhará com a resistência da musculatura enfraquecida (costas, ombros, pescoço, mão e braços).


“Esse conjunto de modalidades e exercícios serão excelentes no tratamento e prevenção das dores ocasionadas pelo uso excessivo do celular e os transtornos causados por ele”, assegura o especialista.

 

Conheça exercícios simples para serem realizados diariamente:


·                Apertar uma bola de tênis, pressionando por dez segundos e depois soltando por 3, pelo período de 5 minutos. É um exercício que dará força nos dedos e palma da mão;


·                Com uma banda elástica, podemos trabalhar bem a força do punho. Fique de pé, pise em uma ponta da banda e segure a outra ponta esticada com a mão. O braço deve estar em 90º, com o cotovelo apoiado na barriga. Puxe a banda para cima, movendo apenas o punho, 10 vezes. Descanse 5 segundos. Repita por um minuto;


·                Sentado: coloque as palmas das mãos (viradas para cima) embaixo de uma mesa e pressione contra o fundo dela, mantenha de cinco a 10 segundos. Isto desenvolve a força nos músculos que vão dos pulsos até o cotovelo interno;


·                Empurrar: faça um punho e aponte o polegar para cima (como se estivesse dando um sinal de positivo), delicadamente puxe o polegar com a mão livre. O essencial é criar resistência com o polegar e músculos da mão para impedir que o polegar se mova, mantenha e repita;


·                Puxar: faça um punho e aponte o polegar para cima, desta vez, use a mão livre para empurrar cuidadosamente o polegar para frente. Novamente, o essencial é criar resistência com o polegar e os músculos da mão para tentar manter o polegar apontando para cima em direção ao teto.  Mantenha e repita.

 

 

 

Academia Acuas Fitness

Águas Claras - Av. Castanheiras, Ed. Big center Praça de alimentação, 1º andar.

Asa Sul - 412/413 sul, Mezanino Big Box.